Elas Vão Expor: Assédio no Carnaval

22:29

Segunda edição do #ElasVãoExpor! Para quem ainda não conhece, esse quadro reune opiniões e depoimentos de algumas garotas sobre diversos temas interessantes. Hoje, elas contaram um pouco sobre assédios que já passaram no Carnaval e como lidaram com isso. A situação é muito séria, gente, assédio rola o ano todo, mas parece que no Carnaval os agressores se sentem mais livres para assediar as mulheres. É muito absurdo! Tem muita macharada solta por aí que não sabe respeitar as minas!
Vamos às opiniões das meninas! (Primeiramente, gostaria de agradecer a todas que participaram!)

Anne Kelly 
"Nas poucas vezes que fui "brincar carnaval", fui assediada várias vezes. Lembro que na primeira vez eu tinha 14 anos e fui para a folia com a minha mãe. Além das apalpadas que levamos, um cara me agarrou do nada e começou a querer me beijar, começou a forçar e minha mãe não estava vendo no momento, então eu não conseguia pedir ajudar nem me livrar dele. Chegou um momento que ele me apertou tão forte que eu simplesmente cedi, pensei "se eu fingir beijar ele, ele vai embora". Ele começou a me "beijar" e eu, que pensei que seria mais fácil deixar, não conseguia manter a boca aberta de tanto nojo daquela situação e ficou cada vez pior. Não consegui fingir nada, só consegui sentir nojo e nojo até de mim mesma depois daquilo e aí a festa acabou para mim. Fiquei horrorizada e muito assustada."

Anônima
"A situação foi assim: Estava descendo a ponte do Galo na terça feira de carnaval com um grupo de amigos. Senti quando alguém (altamente alcoolizado) puxou meu braço fortemente e tentou me beijar, mas sorte que eu virei o rosto e consegui impedir. Educadamente falei que não queria e o rapaz ainda saiu me xingando. Optei por aquele caminho para chegar até o Marco Zero, porque é o mais movimentado e o que tem mais policiamento, mas nada impediu que essa cena acontecesse. Além disso, sinto que se não tivesse com meus amigos e no meio de tanta gente, a situação poderia resultar em algo bem pior."
(A entrevistada pediu que sua identidade fosse ocultada)

Sarah Teodosio
"Já sofri assédio no carnaval sim, inclusive, não lembro um que não tenha passado por isso. É homem puxando pelo braço, é deixar de vestir saia e vestido com medo de alguém achar que isso seja um convite a tocar no seu corpo, é conviver com homem que não sabe receber não. Ia ser massa mesmo se a maioria dos homens entendesse que não tá ok ser escroto só porque é “folia”. Se juntar minhas amigas para conversar sobre todos os assédios que sofremos só no carnaval, ia ter muita história pra contar. As histórias são com pessoas diferentes mas contextos muito semelhantes, ser puxada pelo cabelo ou membros do corpo por alguém que tem o dobro da sua força e tamanho, ouvir gracinha e ser olhada como objeto sexual, ter que fingir relacionamento com alguém pra se livrar de um cara que não entendeu o não que recebeu... Imagino como seria bom curtir um carnaval tranquilo sem se preocupar com essas coisas, do que arranjando jeitos de se livrar e conviver com essas situações no mínimo constrangedoras que somos expostas durante todo esse período. O carnaval é uma época massa pra curtir, pra ir nos 832678683767 bloquinhos, pra assistir show gratuito, mas muitas vezes a gente deixa de curtir por ter que se preocupar demais com a nossa segurança nesses rolês."

Clarissa Assis
"Não, nunca sofri e nem presenciei algum assédio no Carnaval. Não porque tive sorte, e sim porque sempre fui alertada pela minha família sobre esse tipo de coisas e a cada ano eu criei um tipo de bolha em que eu estaria segura nela. Não dá para contar nos dedos as vezes em que eu disse "não" a algumas diversões por medo puro de agressões, palavras ou até mesmo olhares inapropriados. Costumo brincar dizendo que em casa estou segura e o Netflix toma conta de mim, mas admitir que alguém tira a minha vontade de sair sem medo é quase pior do que o assédio em si. É como se tirassem algo que deveria fazer parte de mim."
(Clarissa é dona do blog Próxima Primavera.)

Anônima 2
"Teve uma vez em Bezerros, eu tinha 14 anos, não estava fantasiada mas estava vestida para uma festa de rua, short e camiseta, tava normal. Daí tinha uma feirinha de artesanato e comida só que para chegar lá tinha que passar por um monte de gente que tava aglomerada na frente de um palco. Estava eu, minha mãe e minha amiga com a mãe dela, a mãe dessa minha amiga estava guindo a filinha para passar e eu tava por último. Daí tinha uns coroas (COROA MESMO, TINHA UNS 40 ANOS) bebendo e eu tive de passar por eles. Quando eu passei tinha muita gente e tivemos que parar um pouquinho porque estava passando bloco, aquela agonia. Eu, por azar, parei de frente para o coroa, aí ele colocou a mão nas minhas costas e falou perto do meu ouvido que "pagava bem". Eu empurrei ele. E havia uns carinhas do lado que me conheciam da escola, então eles ficaram querendo brigar, e eu disse era melhor não fazerem isso pra não dar tumulto. Mas foi tipo "ECA". Eu sei que não foi culpa minha." (A entrevistada pediu que sua identidade fosse ocultada)

Qual sua opinião sobre o assunto? Já passou por isso? Quer sugerir tema? Me conta nos comentários!
Gosta do blog? Siga no Twitter (@mahpessoaa), no Instagram (@mahpessoaa), o Instagram do blog (@blogtrashrock), curta a fanpage do Facebook aqui e se inscreva no canal do Youtube aqui

You Might Also Like

11 comentários

  1. Sabe onde mora o maior perigo na minha opinião? Nas meninas que nem sequer sabem que foram assediadas. Que acham que pq alguém puxou o braço ou tentou beijar mesmo sem você ter dado espaço, é "normal no carnaval".
    NÃO, NÃO É! Qualquer ato na base da força, é assédio. Qualquer homem/mulher que chegue te puxando com força, é assédio. Qualquer pessoa que tente te beijar sem a sua permissão, é assédio!
    E isso vale para todos!

    MARAVILHOSO, MARÍLIA! Parabéns pela iniciativa...

    xx,

    Mani Piñeiro
    Instagram
    Snap: @manipineiro

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente isso ainda acontece. E no carnaval chega a ser pior.
    Já passei por isso sim e me senti bem mal.
    Bem interessante conhecer outras histórias.
    O assédio é lamentável!
    Excelente post!
    bjO

    Dany
    Blog Breshopping da Dany

    ResponderExcluir
  3. Ótimo post!! Adoro o Elas vão expor!
    Amo seu blog!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Ai que absurdo em pelo século XXI ainda ter que ler essas coisas! Eu estou com a garota que deixa de sair por medo de assédio, nunca fui assediada porque nunca fui e é cada história! Aqui em SP teve o bloco "casa comigo" e era tanta gente que fecharam as estações e não dava pra ir embora. Os caras iam lá e faziam um círculo envolta da menina e a forçavam a beijar alguém e ela nem conseguia sair do meio e ninguém conseguia ajudar! É UM ABSURDO ESSAS COISAS.

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  5. Foda isso. É de ficar indignada com essas situações :(

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Acho importante esse tipo de post, foda saber que isso acontece.

    https://blogincensurado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Isso é realmente muito triste, tanto que, nem frequento o lugar por medo que isso aconteça comigo.

    http://pingos-de-lua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente, no carnaval, assédio é o que mais rola. E é um dos principais motivos que me levam a não gostar de participar dessa festa, mesmo morando em Salvador, onde toda a cidade para pra curtir. Prefiro ficar em casa, segura e protegida, onde sei que nada de ruim vai acontecer comigo. Todas as minhas amigas pulam carnaval e relatam as coisas que acontecem com elas... é um absurdo essa situação. Muito triste mesmo. :(

    Com amor,
    Steph • Não é Berlim

    ResponderExcluir
  9. Muito revoltantes todos esses relatos! Carnaval deveria ser uma epoca divertida e sem esses estresses todos. Fico pensando se algum dia isso vai mudar :S Abraço :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  10. Antes de comemorar pela postagem, BOM DIA AVRIL LAVIGNE! UAHAUHAAU
    sdds here's to never growing up
    Amei a postagem? Gente, acho TÃO importante essas coisas. Amei a ideia, a resolução, o blog, tudo!
    Gente do céu, fiquei tão triste pela Anne. Não é fácil sas coisa. Af, me deixa muito triste e brava essas coisas. A gente vive com medo e as pessoas veem isso como "normal". Mano, ter medo de ser estuprada na vida não é normal e tem que ser resolvido!
    "deixar de vestir saia e vestido com medo de alguém achar que isso seja um convite a tocar no seu corpo" aquela frase que acaba com a gente com essa realidade filha da puta 4AM

    ResponderExcluir
  11. Acho isso um absrudo ainda mais no carnaval!
    Acho que isso é falta de posicionamento dos nossos plíticos diante de tanto assédio.
    Por isso que o feminismo existe, grças a dEUS

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário! Se tiver um blog, coloque o link!

Canal do blog

Participe da enquete

Inscreva-se no canal